BASF

Uso da água na produção da cana-de-açúcar e etanol


A produção de cana-de-açúcar no Brasil é realizada praticamente sem o uso de irrigação. Entretanto, seu emprego, ainda que limitado, está aumentando. Isso se deve à crescente demanda pela incorporação de novas áreas de cana no Cerrado do Brasil que tem levado à exploração de regiões com déficits hídricos mais acentuados. O Nordeste também tem procurado melhorar sua produtividade por meio de irrigação. No entanto, tradicionalmente, a cultura da cana-de-açúcar no Brasil não utiliza irrigação, o que é de grande importância na redução de impactos ambientais (não só pelo menor uso da água como também por evitar arraste de nutrientes, resíduos de agrotóxicos, perdas de solo etc.).

No uso industrial, a água entra nas usinas com a cana (cerca de 70% do peso dos colmos) e com a captação para usos na indústria. A água captada é usada em vários processos, com níveis diferentes de reutilização; uma parcela é devolvida para os cursos de água após os tratamentos necessários, e outra parte é destinada, juntamente com a vinhaça, à fertirrigação. A diferença entre a água captada e a água lançada é a água consumida internamente (processos). A tabela mostra a evolução deste balanço hídrico para a área industrial.

Captação, consumo e lançamento de água: 1990 e 1997

Volume (m³) por tonelada de cana1990¹1997²
Captação 5,6 5,07
Consumo 1,8 0,92
Lançamento 3,8 4,15

¹ Plano Estadual de Recursos Hídricos – 1994/95 (1º Plano do estado e São Paulo, 1990 – Síntese); ² Levantamento (revisão) efetuado em 1997 pelo CTC com a participação de 34 usinas da Copersucar.

A usina utiliza uma grande quantidade de água nos processos, principalmente para resfriamento de equipamentos e sistemas (média aproximada de 21m3/tc)2, como apresentado nessa outra tabela.

Nos valores médios de eficiência industrial atuais, onde cerca de 85 litros de etanol são produzidos por tonelada de cana processada em uma destilaria anexa, o consumo de 0,92 m3/tc corresponderia a 10,8 litros de água por litro de etanol.

Usos da água (valores médios) em usinas com destilaria anexa

SetorProcessoUso médio
(m³/t de
cana total)
Distribuição (%)
Alimentação Lavagem de cana 5,33 25,4
Extração (moendas) Embebição 0,25 1,2
Resfriamento de Mancais 0,15 0,7
Tratamento de Caldo Preparo de Leite de cal 0,01 0,1
Resfriamento na Sulfitação¹ 0,05 0,2
Embebição dos filtros 0,04 0,2
Condensadores dos filtros 0,30 1,4
Concentração do Caldo Condensadores / multijatos evaporação¹ 2,00 9,5
Condensadores / multijatos cozedores¹ 4,00 19,0
Diluição de méis 0,03 0,1
Resfriamento cristalizadores¹ 0,05 0,2
Lavagem de açúcar¹ 0,01 0,0
Geração de Energia Produção de vapor 0,50 2,4
Resfriamento tubogeradores 0,20 1,0
Fermentação Resfriamento do caldo² 1,00 4,8
Resfriamento de dornas² 3,00 14,3
Destilaria Resfriamento condensadores² 4,00 19,0
Outros Limpeza de pisos e equipamentos 0,05 0,2
Uso potável 0,03 0,1
Total   21,00 100,0

¹ Somente na produção de açúcar; ² Somente na produção de etanol. Fonte: Neto (2005)